A Semana da Barba
@ moniquelive | Thursday, Feb 7, 2019 | 2 minute read | Update at Thursday, Feb 7, 2019

Disforia de gênero é o desconforto que uma pessoa transgênero sente relacionado ao seu gênero biológico, por este não corresponder a sua identidade. É um assunto muito sério, que possui várias graduações, a mais extrema na minha opinião, pode levar a pessoa ao suicídio.

Eu sempre senti isso. Mas achava que dava pra “fazer vista grossa”, “jogar pra debaixo do tapete”. Como se diz no popular, que é uma “opção”. Aliás, se a pessoa realmente acredita que é uma questão escolha, esta idéia pode levar a trans/homofobia, pois se você acredita que a sua orientação sexual ou identidade de gênero são uma “escolha”, logo você pode sofrer influência (do que quer que seja) e mudar de “opção sexual”… Mas isso é papo pra outro texto…

Na PNL estudei um conceito chamado âncora, que são estímulos a um ou mais dos 5 sentidos que causam o “disparo” de um estado emocional. Você já deve ter passado pela experiencia de sentir um cheiro ou ouvir uma música e de repente ser transportada(o) para uma situação anterior, que causou uma sensação prazerosa, nostálgica, desconfortável, ou ate mesmo lembrou de um sentimento indescritível…

Bom, essa introdução toda foi pra falar de uma disforia que volta de vez em quando, disparada por uma âncora que já foi visual (através de imagem), mas que hoje é mais sinestésica (através do tato). Agora você consegue ler esta frase e entendê-la (espero 😂).

Então A Semana da Barba, é uma semana a cada 20 dias em que fico proibida de fazer a barba, para que ela cresça um tamanho razoável para poder fazer a sessão de laser.

Como falei, antes a ancora era visual, quando a barba era preta. Mas o laser já fez estes pelos partirem para onde nunca deveriam ter saído… 🙄 Agora a ancora é praticamente somente cinestésica, pois os pelos brancos que sobraram quase não são visíveis, mas coçam, e eu os sinto quando lavo o rosto, por exemplo.

E vocês podem imaginar o tipo de sensações/emoções/memórias que uma barba me faz sentir… 💔

Ainda bem que a evolução é tangível… Era muito cerrada (desde cedo) e está cada vez mais inexistente 🙏🏻

= M =

licençaCopyright © 2018-2021 Monique Oliveira some rights reserved

XP

Onde trabalhei

Foi uma dança de cadeira grande, as vezes voltando pra “mesma” empresa que mudava de nome frequentemente 😂

Antes de empreender

  • Em 1996 trabalhei no site do jornal O Globo, antes de globo.com existir…
  • Estagiei por 1 ano no Tecgraf, departamento da PUC-Rio
  • Trabalhei por 1(?) ano na Ciphersec, que ainda não se chamava assim - meu primeiro contato com a incubadora da PUC

Pós picada do mosquito do empreendedorismo

  • Em 1999 co-fundei a Waptotal, que em seguida mudou pra nTime, na incubadora da PUC
  • Em 2006 fui passar um tempo na Microsoft, em Redmond, WA
  • Em 2008 voltei pra nTime, que agora havia se juntado com a Compera, Yavox e Cyclelogic. Em seguida mudou o nome pra Movile

Pós Movile

  • Em 2011 saí pra co-fundar a aceleradora 21212
  • Em 2015 tirei um tempo sabático
  • Em 2017 co-fundei a CyberLabs

Me

Uma ser humana em busca de si mesma.

Olá, eu sou a Monique Oliveira, também conhecida como moniquelive ou simplesmente cyber e este aqui é o meu Blog Pessoal, aonde escrevo histórias pessoais (as vezes pessoais demais, fica o aviso 😉).

Em 2018, iniciei o meu processo de transição e, ao mesmo tempo, este blog aqui, para registrar essa jornada cheia de incertezas que se iniciava naquele momento.

Redes sociais