Vergonhas
@ moniquelive · Saturday, Apr 25, 2020 · 3 · Apr 25, 2020

Hoje postei no insta uma foto das minhas unhas vermelhas. A legenda diz “Já tive tanta vergonha… Mas não me lembro mais”.

E esse post me fez lembrar que outro dia me dei conta de uma decisão “pré-transição” (feita pelo meu irmão 😂).

Na época que a disforia estava no ápice, que a panela de pressão estava a ponto de explodir, eu decidi iniciar algumas mudanças corporais sutis, mas que eu sabia que estariam lá. Pequenas lembranças para me deixar feliz durante o dia.

Estava divorciada, morando só e trabalhando na 21212.

Comecei então a deixar o cabelo crescer e passei a cuidar das minhas unhas por conta própria.

Assisti milhões de canais de youtube (blogueirinhas) com dicas de cuidados pessoais. Desde tutoriais mais básicos (de como lixar as unhas - vocês sabiam que existe mais de meia dúzia de formatos possíveis? eu não na época 😊) até os avançados de maquiagem (que eu ainda nem tinha os produtos para por em prática).

E nessas andanças encontrei um anuncio de uma manicure (acho que no instagram). Conversei com ela, expliquei a situação (afinal ela estaria entrando num apartamento de um “homem” sozinha). Sábado de manhã era quando ela podia.

E começava ali mais um ritual ainda escondido do mundo. Mão numa semana, pé e mão na seguinte. E ia trabalhar de pés feitinhos com esmaltes variados. Morrendo de medo de sofrer um acidente e ter que tirar o sapato no hospital (situação super comum e frequente, shut up). Na época eu corria no Aterro do Flamengo e o medo do tênis sair voando ou de ser assaltada e ter que voltar pra casa andando descalça também era real.

Mas as mãos não tinham como ser reveladas ainda. Então meu horário estratégico me permitia curtir 2 diaszinhos de mãos feitinhas que eram devidamente desfeitas no domingo a noite durante o fantástico.

E passei muitos finais de semana sem sair de casa por causa delas. Isolada porem feliz. Quando pedia um delivery corria pra colocar luvas de borracha, dessas de fazer limpeza. Com uma fresta de porta aberta, com um pé atrás da porta e o outro escondido do outro lado. Deviam achar que eu estava fazendo meth… ☣️ Breaking Bad vibes.

Quando eu digo nos outros posts que um peso saiu dos meus ombros, são esses pequenos rituais, receios, planejamentos, medos, etc. Estratégias o tempo todo. Que de um dia pra outro deixaram de fazer sentido.

No trabalho já reparavam no tamanho das unhas das mãos - e que eu admito, não combinavam com a imagem sustentada na época, mas… - mas eu sabia que era questão de tempo. Só não sabia quanto. Quando íamos almoçar eu segurava o copo com a mão toda torta para as pessoas não ficarem olhando para elas…

Estamos falando de 2015/16… O tratamento hormonal começou em Outubro de 2017 e a viagem de Miami foi em Setembro de 2018.

E a decisão que falei lá no início era sobre o dia da unha… Troquei de manicure para a atual (indicada pela minha fofíssima ex-cônjuja) nas sextas a noite.

Este ano precisei mudar o horário e aí me dei conta do processo de escolha deste dia 😂 Hoje meu dia é as quartas-feiras.

Se tiver alguma leitora larvinha ainda no casulo, fica uma mensagem de esperança. Tudo é passageiro nessa vida, amiga 😘

bjs,

= M =

Save as image